segunda-feira, 20 de abril de 2009

It's just the dawning of our love.

E então, eu sinto saudade de algumas coisas que eu nem sei bem. De alguns cheiros, e até meros sorrisos, apagados da memória devido ao tempo. E uma angustia me pulsa o coração freneticamente, lembrando momentos sórdidos que eu acredito que um dia voltarão, e se voltarem, será dessa vez, com mais frequência. O que eu não sei, é se virá com ondas boas ou ruins. Nem sei se virá, na verdade. O destino parece que muda o tempo inteiro, assim como as estatísticas de eu atrair um pressuposto acidente. Que, ainda, parece mais ser uma característica da minha personalidade do que de destino, enfim. Ainda sinto um gosto amargo que corrói uma sede incontrolável de sentir. E de viver, é claro. De que muitas coisas estão chegando ao fim, e outras, começando. Já nem sei mais se a sorte caminha ao meu lado, inexplicavelmente ela tende a me deixar na mão quando eu mais preciso. Entretanto, a felicidade, essas sim, caminha ao meu lado todos os dias. E o destino tem sido meu fiel escudo e companheiro botando certas pessoas em minha vida que jamais sairão dela. O que questiono aqui é o sentimento de não ter certeza de nada, do ‘vai e vem’ das coisas... De que o mundo realmente não para, e disso, não posso fugir.

Um comentário:

Dancer disse...

Engraçado, só tenho incertezas quando não estou plenamente feliz ou plenamente segura. Ou só plena.
As incertezas aparecem quando tudo é tão inseguro que eu só tenho medo que piorem, ou quando tenho medo de perceber a falta de estabilidade em que vivo.

Bom que a felicidade te dá bom dia todos os dias. É sempre bom ouvir estas coisas.

Beijos pra você
[www.blogodancer.zip.net]